Sérgio Ghiu, professor de matemática, autor e coordenador de aprendizagem criativa do sistema pH de Ensino, parte do grupo SOMOS Educação, participou de uma mesa de debates no evento 360 Educação Steam, que aconteceu dia 26 de novembro, no Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro (RJ). Essa edição teve foco nas disciplinas STEAM (sigla que, em inglês, quer dizer, Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes, Matemática).

O encontro abordou as mudanças necessárias nos modelos pedagógicos do país para ensinar às futuras gerações habilidades para o século XXI. Para Sérgio, é importante questionar se o preparo oferecido hoje vai de fato deixar o aluno pronto para o mercado daqui a 18 anos. “Precisamos criar sistemas de aprendizado para o ser humano, para que ele seja capaz de aprender por si só, se autodesenvolver, assim não importará como será o mercado de trabalho, pois ele conseguirá adaptar-se, estará bem estruturado.” explica.

Para ele, a escola, sociedade e governo são os responsáveis por preparar a terra de forma a garantir que as raízes sejam fortes, não importando o cenário futuro. “Temos que olhar o futuro, mas precisamos olhar o hoje, garantir que façamos bem feito o que precisa ser feito hoje, estamos defasados em inclusão e educação pública. STEAM é metodologia para melhorar a educação, não é uma resposta, mas é uma tentativa de mostrar como é possível fazer.”, completa.

Já em relação aos estudantes, ao apresentar a foto de uma aluna sorrindo com seus óculos na carteira, ele explicou que dá para fazer coisas diferentes desde que o aluno esteja no centro do aprendizado. “Essa aluna aqui está rindo na foto, a haste dos óculos dela quebrou durante a aula, ela estava ansiosa, estava balançando a haste e quebrou, aí eu sugeri, você pode ir lá no laboratório e fazer, ela ficou super feliz que conseguiu criar uma haste nova.”, contou.

Accessibility